Volta às aulas e a lancheira da criança celíaca

Volta às aulas e a lancheira da criança celíaca

A doença celíaca é séria, os pais e a escola precisam estar em sintonia para o melhor desenvolvimento da criança celíaca.

O fim das férias de verão marca o início da busca pelo material escolar dos filhos e logo mais a preocupação que muitas vezes se torna um desafio para as famílias: a montagem das lancheiras dos filhos. Desafio ainda maior, quando a criança é celíaca.

Segundo a nutricionista da Schär, Inês Camila Alves, além de se preocupar com a alimentação da criança, os pais devem também se atentar ao ambiente escolar. “As crianças celíacas não podem comer qualquer coisa sem antes saber quais são os ingredientes utilizados no preparo do prato, especialmente, quando as refeições são feitas fora de casa. E, conforme a sensibilidade do pequeno, até mesmo o contato com alguns produtos que possam conter glúten, podem ser o suficiente para desencadear algumas reações alérgicas”, explica.

Diálogo e compreensão

Article7093_Volta as Aulas1.jpg

Como a escola é um dos locais onde as crianças passam grande parte do tempo é de grande importância uma integração entre os pais e os coordenadores a respeito de suas necessidades de saúde. Informar ao colégio sobre os alimentos que a criança não pode consumir e como ela poderá ser afetada. “ Como a Fenacelbra mesmo orienta, os pais devem apresentar o laudo médico da criança à escola, conversar detalhadamente sobre a gravidade da doença celíaca para que a mesma nunca seja subestimada, e estar sempre junto da escola para auxiliar com informações, receitas, passeios e monitorar de perto as reações da criança”, alerta Inês. Para as situações das crianças nas escolas, o endocrinologista pediátrico Hugo Werneck orienta os pais a conversarem com a coordenação ou direção da escola, para que fique bem claro a proibição de consumo de alguns alimentos que possuem glúten e seus efeitos para a criança, apresentando a dieta alimentar fornecida pelo médico ou nutricionista do aluno.

Article7093_Volta as Aulas2.jpg

É importante sempre um diálogo aberto com as crianças em todas as idades, ressalta Inês. “Explicar para a criança o porquê ela não pode comer o lanchinho do amigo, mas que ela pode compartilhar o lanche sem glúten que ela leva, é fundamental para que a criança não se sinta excluída dentro do ambiente escolar. Hoje o mercado está apto e tem uma variedade de produtos e a alimentação não pode ser um fator de segregação do celíaco”, enaltece. “As crianças não são mais resistentes a aderir à dieta do que os adultos. Os pais e familiares devem se esforçar para tornar essa tarefa menos árdua evitando o consumo ostensivo de alimentos com glúten e orientando a criança de forma assertiva. Fica mais difícil para a criança seguir a dieta se ela observa os familiares ingerindo diversos alimentos ditos 'normais'. Felizmente hoje existe uma grande variedade de alimentos sem glúten no mercado, que facilitam a socialização da criança celíaca”, argumenta Werneck.

Cuidado com a contaminação cruzada

Article7093_Volta as Aulas3.jpg

É importante lembrar que o glúten pode estar presente em vários materiais escolares, como massinhas de modelar (muitas vezes feitas com farinha de trigo), alguns tipos de giz de lousa, balões de látex e até cola líquida.

Para ajudar os pais e responsáveis pelas crianças celíacas, a nutricionista da Dr.Schär, Inês Alves preparou algumas dicas de cardápio para o lanche das crianças. “Como grande parte dos biscoitos da Schär são porcionados, isso facilita bastante na variedade do lanche, diversidade de sabores e qualidade na alimentação. Combinando com sucos e frutas, a criança terá uma alimentação saudável e super nutritiva”, comenta Inês. Os sucos, a opção deve ser sempre pelo natural, para conservá-lo, a orientação é utilizar garrafas térmicas, pois além de proteger o líquido da luz, impede que o suco azede.

Confira as dicas

  • Maçã, sanduíche (Pão Rústico ou Pan Blanco) com um patê gostoso e suco de preferência natural ou caso seja um industrializado, preferir as marcas que contém suco natural ou orgânico. 
  • Pêra e um pacote porcionado do biscoito Maria + suco.
  • Uvas + 1 pacote porcionado do Biscotto All' Avena e bebidas fermentadas como Yakult (caso a criança não possua intolerância a lactose também)

Atualmente a Schär possui no Brasil mais de 35 produtos disponíveis no mercado brasileiro. Na linha de biscoitos que facilitam no dia a dia escolar das crianças, a empresa oferece várias opções porcionadas como os biscoitos Crackers, Biscotto All’ Avena, Digestive, Digestive Choc, Choco Chip Cookies e Maria. A marca oferece também  alguns itens em embalagens individuais, que são ótimas opções de lanches, pois podem ser enviados na lancheira fora dos potinhos: o salgadinho Salinis, o minibolo Pausa Ciok, o Wafer Pocket, o chocolate snack e a bolacha recheada Mini Sorrisi.  

Mas a nutricionista Inês alerta: “Os biscoitos recheados e com coberturas de chocolate devem fazer parte da lancheira das crianças em dias esporádicos”.